All
0
Assessoria
0
Branding
0
Inbound
0
Notícias
0
OWL Interativa
0
Sem Categoria
0

Manual de boas práticas nas redes sociais – PT 2

novembro 14, 2018
Como prometido, trouxemos a segunda parte do nosso manual de boas práticas nas redes sociais. Você vai conferir neste novo artigo mais 5 dicas de como se comportar nas plataformas sociais. 1 – Evite se expor demasiadamente Por mais descontraído que seja o ambiente virtual não é bacana se deixar levar e se expor desnecessariamente. Evite brincadeiras que tenham duplo sentido ou que podem colocá-lo em situação delicada. Ah, isso vale também para os seus contatos. Nada de fazer comentários indiscretos em fotos, postagens,etc. Se você tem esse tipo de intimidade com a pessoa, procure interagir dessa forma no seu perfil pessoal ou por mensagem privada. 2 – Marcar todos os contatos em postagens É um fato que algumas redes sociais têm reduzido o alcance de publicações de empresas. É uma tendência dessas plataformas incentivar o patrocínio de posts – inclusive, falamos um pouco sobre isso aqui. Apesar disso, algumas empresas têm usado uma tática para garantir que seu conteúdo chegue ao máximo de pessoas possíveis: a marcação. Pode parecer uma boa estratégia marcar todos os amigos da rede social, mas é preciso ter cautela. Marcar sempre os mesmos contatos a cada nova publicação e sem filtrar os amigos que realmente se interessam pelo conteúdo é um erro. Ninguém gosta de receber notificação de algo que não se interessa e se isso torna-se frequente, pode ter certeza que haverá reclamações. Uma única reclamação pode ser o estopim para que muitas outras venham à tona. A dica é fazer a marcação com moderação e selecionar bem o público que tenha a ver com o conteúdo. Dessa forma, você garante um engajamento mais assertivo e com interações mais positivas. 3 – Sem grosseria nas interações Por mais difícil que seja lidar com clientes reclamões, sua empresa jamais deve perder a linha e responder grosseiramente um usuário. Você deve ser sempre solícito, educado e prestativo para solucionar o problema. Grosseria não se vence com grosseria, pois uma atitude negativa da sua parte pode gerar repercussão e má fama a sua empresa. Nas demais interações procure sempre ser simpático e prestativo nas respostas. Dessa forma, você ganha admiradores pela educação e atenção dedicada ao cliente. 4 – Cuidado com o capslock Pode parecer um detalhe bobo, mas o uso do caps lock ou caixa alta na internet pode significar que você está “gritando” virtualmente. Por tanto, só utilize esse recurso de acordo com as normas ortográficas ou se precisa chamar a atenção para algum detalhe do texto. JAMAIS se comunique exclusivamente utilizando o caps, pois além de parecer grosseiro, a leitura fica cansativa. 5 – Adicionar todos os amigos em grupos Assim como no item anterior, adicionar todos os contatos em grupos sem que eles tenham demostrado interesse em participar é uma péssima ideia. Nesses casos é bem comum que os contatos saiam imediatamente do grupo ou reclamem sobre a sua inclusão, algo anda bacana. O melhor jeito de fazer isso é convidar individualmente seus contatos para fazerem parte do grupo. É uma maneira

Manual de boas práticas nas redes sociais – PT 1

novembro 13, 2018
As redes sociais são verdadeiros fenômenos comunicacionais. Elas já figuram entre as primeiras posições dos sites mais acessados pelos internautas. Não é à toa que as marcas têm ingressado nestes sites em busca de ampliar sua comunicação com os seus clientes. Nós somos prova de que a presença on-line faz toda a diferença, mas nem tudo é um “mar-de-rosas” na internet e é preciso ter muito cuidado para não ser inconveniente e gerar rejeição a sua marca. Por sorte, se você é novato no mundo virtual, preparamos um manual de boas práticas nas redes sociais para que você acerte em cheio na sua comunicação. 1 – Atenção especial a identidade visual da sua marca A apresentação da sua marca deve ser feita de forma profissional, por tanto, nada de usar imagens embaçadas ou pixelizadas. Alinhe sempre as artes de avatar e capa com as campanhas de marketing vigentes para mostrar que todos os canais de mídia da sua empresa estão integrados. 2 – Fake News Nos últimos tempos muito tem se falado sobre as fakes news – as notícias falsas. Esse tipo de conteúdo circula facilmente pela web e é preciso tomar cuidado para acabar não compartilhando alguma notícia falsa que venha prejudicar as pessoas ou entidades envolvidas. Antes de publicar qualquer material informativo, é importante checar previamente as fontes e confirmar a veracidade dos fatos. Vale destacar que existem projetos de lei sendo avaliados que podem penalizar severamente tanto autores quanto aqueles que compartilham informações falsas. Por tanto, tome cuidado e afaste-se das fake news. 3 – Cuidado com os exageros Várias redes sociais disponibilizam aos seus usuários ferramentas que automatizam processos para convidar contatos para curtir, seguir ou adicionar a conta de uma marca. É um recurso útil, mas é preciso ter moderação para acabar não incomodando seus contatos e afastando eles de você e da sua empresa. 4 – Compartilhar assuntos polêmicos A principal forma de conseguir atenção negativa nas redes sociais é compartilhar temas considerados polêmicos. Não entenda essa orientação como uma forma da sua marca não participar dos assuntos em alta. Com essa dica queremos alertá-lo, caro leitor, sobre os assuntos que são controversos e dão margem para discussões extensas. A repercussão negativa que um post desse tipo pode gerar é inimaginável e pode manchar de vez a sua marca nas redes sociais. Neste último caso, a dica é avaliar bem se este assunto realmente deve ser tratado no perfil da sua empresa. Será que esse assunto pode gerar discussões e ofender clientes e potenciais consumidores? Esses questionamentos são fundamentais antes de publicar ou compartilhar posts que tratem de assuntos espinhosos. 5 – Não confunda página com perfil Páginas e perfis são dois tipos de contas em redes sociais bem distintos. Você não deve confundí-los de forma alguma, pois isso impactará nos seus resultados. Os perfis são as contas padrões dos usuários, onde são permitidos envios de mensagens, compartilhamento de fotos, vídeos, áudios, links, etc. No entanto, seu alcance é limitado normalmente a sua rede

A importância dos sites otimizados para o mobile

novembro 8, 2018
Fala a verdade, você conseguiria passar um dia inteiro sem seu smartphone? Hoje em dia é quase impossível ficar sem o celular. Afinal, é possível resolver inúmeros assuntos através desses pequenos aparelhos. Prova disso é que uma pesquisa realizada pela Tapestry, mais de 68% dos brasileiros, em 2016, utilizou os smartphones para acessar a internet. Diante desse resultado tão expressivo, voltamos nossa observação pra você. O seu site ou blog está preparado para receber acessos mobile? Esperamos que a resposta seja sim, porque do contrário você ta perdendo grandes oportunidades de gerar leads. Sites responsivos Quem não tem um site que se adapta às telas está perdendo não só acessos, mas também oportunidades de fechar negócios e de se tornar referência em determinado assunto. Sem falar que, a falta de um site responsivo impacta negativamente no ranking do Google. Caso você não esteja familiarizado com esse termo, sites responsivos são aqueles que se adaptam aos diversos tamanhos de tela, facilitando a navegação do internauta pelo conteúdo.  Não tem nada pior do que acessar um site e ficar dando zoom ou diminuindo o zoom para ler ou clicar em algum conteúdo. Por isso, os sites responsivos são tão importantes. Aqui, na OWL Interativa, todos os sites que produzimos para os nossos clientes já são feitos para se adaptarem as telas dos diversos gadgets que acessam a internet. E, você, já tem um site ou precisa remodelá-lo para ficar mais moderno e responsivo? Então entre em contato conosco: atendimento@owlinterativa.com   e melhore sua comunicação digital! Viu só como é importante ter um site otimizado para os acessos mobiles.

O uso do negrito nos textos faz diferença ou não para o rankeamento do site?

novembro 6, 2018
Ter um site que aparece nos primeiros resultados das buscas do Google é o desejo de muita gente. Afinal, quem aparece no topo é o que possui maior relevância e, consequentemente, maior tráfego de usuários. Não é à toa que são utilizadas diversas estratégias de SEO para tornar o conteúdo mais fácil de ser lido e relevante para os algoritmos do buscador. Entre essas estratégias está o negrito. Mas, será que negritar frases ou palavras faz alguma diferença? Descubra agora nesta matéria. Negrito: usar ou não usar A utilização do negrito é um recurso para se destacar palavras ou frases que são de grande importância em um texto e que o leitor não pode passar sem ler. Essa sem dúvida é uma estratégia muito boa para esse caso. Quando estamos falando de fatores que influenciam diretamente no rankeamento de um site, o peso do negrito não é tão grande assim. Acontece que o uso do negrito pouco impacta diretamente no rankeamento do site. Ele é apenas um recurso de escaneabilidade do conteúdo publicado. Caso não esteja familiarizado com esse termo “escaneabilidade”, ele diz respeito ao padrão de leitura feito pelo usuário na internet. A leitura nesse meio é feita de forma dinâmica para que o leitor identifique se o texto que ele está vendo é útil ou não. Por que usar o negrito? Bom, apesar de não ter relação direta com os fatores que levam seu site ao topo das buscas, ao utilizar o negrito você ganha em escaneabilidade, o que faz com que o usuário preste atenção nas frases ou palavras-chave do seu conteúdo, o que aumentará consideravelmente as chances dele ficar mais tempo no seu site. Se o seu texto for realmente bom, ele poderá ser mais relevante para outros usuários e, assim, sua postagem atrativa e os algoritmos vão entender que ele atende ao que o internauta procura. Use, mas com moderação Viu só como vale a pena negritar algumas palavras ou frases? Mas, olha só, o recurso é importante, porém, precisa ser usado com moderação para não cansar a leitura do internauta.

Por que o marketing de conteúdo é o melhor caminho?

outubro 30, 2018
Já se foi o tempo em que a estratégia de marketing era voltada apenas na venda direta. Cada vez mais vemos campanhas que a venda é o pano de fundo. Em primeiro plano está o desejo da marca em oferecer algum valor ao seu cliente. Esse tipo de posicionamento é chamado de marketing de conteúdo e é justamente sobre ele que vamos falar hoje. O que é o marketing de conteúdo? Antes de nos aprofundarmos no assunto, é importante definirmos bem o que é o marketing de conteúdo. Bom, de forma resumida, o marketing de conteúdo é uma nova abordagem de atração de clientes por meio do conteúdo. Você substitui a mensagem direta de venda pela oferta de valor ao seu público. Pode parecer um pouco abstrato, mas na verdade estamos falando de uma tática mais natural e moderna para se relacionar com seu público com o objetivo de torna-lo cliente da sua marca. Quais os benefícios? São vários benefícios agregados a essa nova visão de marketing, afinal, estamos falando de um novo perfil de público que se relaciona de forma diferente, mais interativa, com os meios de comunicação. Por isso, é preciso se atualizar e entregar novas experiências a esse público. Mas voltando a falar dos benefícios, em primeiro lugar, a oferta de conteúdo rico e valioso gera engajamento do público. Sua marca passa a ser vista de forma diferenciada, criando fãs e defensores dela e que vão propagar a sua empresa de forma orgânica, o que sem dúvidas é muito mais poderoso. Em segundo lugar, a produção de conteúdo aumenta o tráfego em seu site. Quanto mais rico for o seu conteúdo, maiores são as chances dele ser recomendado e aparecer nas primeiras páginas do Google. Outro ponto interessante é que sua marca passa a ser reconhecida como autoridade no assunto. Isso é muito positivo, pois a sua empresa vira referência e primeira opção na mente do cliente quando for precisar das soluções do seu setor de atuação. Viu só como o marketing de conteúdo é um ótimo caminho para sua empresa? Invista nessa tendência e conquiste mais clientes.

CTAS: porque devo utilizá-los?

outubro 24, 2018
Se você é antenado no mundo do marketing digital, provavelmente, já ouviu falar nos CTAs. As call-to-actions, são ferramentas pra lá de úteis para aumentar as chances de converter um prospect em um cliente. Por isso, é importante definir qual a melhor abordagem para que sua chamada atinja os objetivos definidos. Call-to-action: a definição Caso você não esteja familiarizado com o termo call-to-action (CTA), não se preocupe, pois vamos explicar como e pra que elas funcionam. Você vai perceber que estas são ferramentas indispensáveis nos planos de ação de marketing digital. Basicamente, call-to-action trata-se de uma chamada para ação, isto é, um elemento utilizado pelo anunciante para incentivar o seu potencial cliente a realizar determinada ação. Esses elementos podem ser de variados formatos. Você pode lançar mão de textos com links, botões e até mesmo imagens. Vamos dar um exemplo para simplificar. Você já percebeu que os anúncios do Facebook sempre possuem um botão do tipo: “saiba mais” ou “enviar mensagem”. Pois então, esses são bons exemplos de chamadas de ação. Por que utilizá-los? As chamadas de ação como dissemos no início da matéria são peças importantes no seu plano de ação de marketing digital. Com a estratégia correta é possível converter um potencial comprador em cliente. O melhor disso tudo, é que os CTAs oferecem métricas para que você acompanhe como está sendo seus resultados. Viu só como o CTA é uma  ferramenta importante para sua marca?

O Fim de uma era: Google Plus será descontinuado

outubro 19, 2018
Se você é um dos usuários da rede social Google Plus, aqui vai uma triste notícia. A gigante das buscas de Mountain View decidiu pôr um fim na plataforma. A rede social ficará ativa até agosto de 2019 e depois será descontinuada de vez. A baixa popularidade da Google Plus junto aos internautas, problemas de segurança e dificuldades internas de programação fizeram com que seu fim fosse decretado. Reformulação De acordo com o post oficial no blog da Google, a empresa – através do projeto Strobe – está revisando suas políticas internas de segurança e acesso aos dados. Durante essa verificação interna, foram constatados pontos decisivos para o fim do desenvolvimento e suporte da rede social. Nos estudos internos foi descoberto que o engajamento dos usuários da Google Plus era de apenas 5% e as sessões duravam, em média, 5 segundos, um resultado muito aquém do desejado. Problemas na programação Houveram também desafios a serem superados no desenvolvimento da rede social. As APIs da plataforma estavam dando maiores dores de cabeça para serem mantidas e desenvolvidas pelo time de suporte. Segurança Outo agravante foi uma brecha de segurança, que permitia que aplicativos de terceiros tivessem acesso a informações privadas dos usuários. Cerca de 496.951 usuários tiveram seus dados expostos a terceiros, desde 2015. Tal falha foi descoberta em março deste ano, mas a Google não tornou pública essa informação. Último adeus! Os usuários terão até agosto de 2019 para resgatarem seus dados antes da exclusão da rede social. No entanto, a plataforma continuará disponível para clientes corporativos. E, você, o que achou da descontinuação da Google Plus? Deixe seu comentário.

Messenger deve receber em breve recurso para apagar mensagens enviadas

outubro 17, 2018
Ela ataca de novo! Lembra-se da programadora Jane Wong, que revelou ao mundo uma novidade sobre as hashtags do Instagram? Pois bem, ela continua seu trabalho incansável de destrinchar as línguas de código de programação, mas dessa vez o Facebook Messenger foi o app analisado. A jovem encontrou um recurso muito interessante e aguardado por muitos: a possibilidade de apagar mensagens enviadas pelo app. Apagando as pistas O recurso chamado “desfazer envio” está em fase experimental e ao que aprece deve ter um tempo limite para que ele esteja disponível para usuário, assim como acontece com o Whatsapp. Especulações sobre o desenvolvimento desse recurso já existiam e era esperado que a equipe por trás do desenvolvimento da plataforma anunciasse ainda este ano a novidade.

Por que minha empresa deve ter um perfil comercial no Instagram?

outubro 9, 2018
Em nossa última postagem no blog mencionamos rapidamente sobre um recurso muito importante do Instagram: o perfil comercial. Se você ainda não sabia dessa ferramenta, não se preocupe, pois hoje vamos falar mais detalhadamente deste assunto. Por tanto, se aprofunde na leitura, pois esse conteúdo é pra lá de relevante para sua estratégia de marketing digital na plataforma. O que é um perfil comercial? Os perfis comerciais no Instagram são bem parecidos com os perfis padrões da rede social. A grande sacada deste tipo de conta é que você acesso a uma série de recursos extras muito úteis para empresas. Semelhante às paginas do Facebook, que permitem impulsionamento de posts, métricas, etc. assim funcionam os perfis comerciais. Por que minha empresa deve ter um perfil comercial no Instagram? Bom, o primeiro motivo nós já explicamos no tópico anterior. Esse tipo de conta é ideal para marcas, justamente pelas funcionalidades extras. No perfil comercial você tem como principal vantagem criar anúncios para suas publicações, alcançado mais pessoas e segmentando seu público. Outro ponto interessante que esse tipo de perfil traz é o fato de que você tem a possibilidade de mensurar seus resultados na plataforma. Quando seu perfil migra para um comercial, ele passa a contar com o menu “Informações”, onde são exibidas as métricas dos anúncios, informações do seu público e muito mais. Vale destacar também que fiam habilitados em seu perfil os CTAS. Não sabe o que é? Calma, vamos explicar! CTA é uma abreviação de call-to-action, ou chamadas para ação em tradução livre. São pequenos botões que permitem que os usuários façam ações a partir de um clique. É possível redirecionar seu público ao seu site; redirecioná-lo ao local onde seu estabelecimento está através dos mapas; encaminhá-lo ao seu telefone de contato, etc. Viu só como ter um perfil comercial é uma boa estratégia de marketing digital? Se a sua marca ainda utiliza um perfil convencional, faça já a sua migração. Se você tiver dúvidas, então aguarde nossa próxima matéria, onde vamos ensinar como fazer a migração.

Métricas para ficar de olho no Instagram

outubro 4, 2018
Depois de apresentar algumas métricas importantes sobre o Facebook, agora chegou a vez do Instagram. Se você acompanha nosso blog, já percebeu que temos dedicado várias postagens sobre a rede social. Acontece que cada vez mais ela tem ganhado relevância e novos recursos para atrair anunciantes e usuários. Por isso, vale muito a pena apostar na plataforma. Se você já tem uma conta no Instagram e gostaria de aprender como avaliar seus resultados e criar estratégias para ampliá-los, essa matéria é pra você! Como consultar essas métricas? Antes de começarmos, vamos ensinar onde consultar as métricas do Instagram. Lembrando que este recurso está disponível apenas para perfis comerciais. O primeiro passo é acessar a sua contar, ir até o seu perfil e clicar nas três barras horizontais no canto superior direito do app. Após isso, basta clicar em “Informações” e navegar pelas categorias. Lá você encontra informações muito úteis sobre seus seguidores. Principais métricas Chegou a hora de esmiuçar melhor o que cada uma dessas métricas quer dizer e representa para o seu sucesso na rede social. Seguidores: esta categoria apresenta o número de usuários que seguem o seu perfil. É possível avaliar informações como: gênero, idade, localização, seguidores por hora e dia. Impressões: representa o número total de vezes que a sua publicação foi vista. Cada visualização contabiliza uma impressão, independente se o usuário está visualizando pela primeira vez ou não; Alcance: representa quanto usuários únicos visualizaram a sua publicação; Engajamento: representa o número de curtidas e de comentários que a sua publicação recebeu; Interações:  representa o total de ações ocorridas em seu perfil como, por exemplo, as visitas ao perfil, cliques no link da bio e cliques no call-to-action do perfil (email ou telefone). Stories Interações: trata-se de quantos toques teve a sua história, incluindo cliques no link; Descoberta: trata-se de quantas contas foram alcançadas com a história publicada; Toques para voltar: trata-se do total de usuários que voltaram para ver uma foto ou vídeo que você publicou nos Stories; Toques para avançar: trata-se do total de usuários que pularam para ver a próxima foto ou vídeo das suas histórias. Saídas: trata-se do número de vezes que alguém saiu da sua história; Respostas: representa o número de respostas que uma foto ou vídeo recebeu dentro do Instagram Stories. E aí já tinha conferido seus resultados? Conta pre gente nos comentários.

A importância de planejar as pautas da sua rede social

outubro 2, 2018
Planejamento é uma palavra que deve fazer parte do seu dia a dia. Não importa em que [área você atue ou que irá desenvolver, planejar sempre será a melhor decisão. Quem trabalha com gerenciamento de mídias sociais, sobretudo, tem que levar isso muito a sério, afinal, os resultados são frutos de um planejamento estratégico. Por isso, planejar quais pautas vão render boas postagens é fundamental e neste artigo você vai aprender como fazer isso na prática. Planejamento O primeiro passo exige que você monte um documento simples, onde você vai discriminar o que será publicado, onde e em qual dia. Esse documento é importante para que você organize todos os tópicos que serão abordados na sua rede social. Mudanças podem ocorrer O planejamento das pautas serve para direcioná-lo sobre o que postar e quando postar, mas você tem total liberdade para alterá-lo, mas toda alteração deve ser feita de forma consciente. Você pode alterar os dias de publicação de acordo com as métricas dos melhores dias de postagem, como também pode alterar os temas de acordo com os acontecimentos. Afinal, não adianta nada entrar no assunto quando ele “esfria”. A vantagem de ter esse planejamento é que você evita muito improviso de publicação, gerando posts pouco atrativos. Seleção de conteúdos Uma das boas fontes para selecionar os conteúdos das redes sociais são os assuntos que estão em alta. Você pode acompanhar as hashtags que estão em destaque para descobrir as discussões do momento. Também é válido ficar atendo ao calendário, pois determinados assuntos são sazonais e garantem a atenção do público nos mesmos períodos do ano.  Por exemplo, com a aproximação do verão, é comum que os usuários comecem a postar sobre o calor que está fazendo. Se você tem um e-commerce, que tal aproveitar o momento e fazer postagens sobre piscinas? As notícias também são boas opções de onde você pode encontrar bons assuntos. Só cuidado para não fugir muito da sua área de atuação. Todas as pautas precisam ser relevantes ao seu público-alvo, ou se for o caso, transportadas para o seu campo de atuação. Por último, temos algumas sugestões de posts gerais que conseguem bons resultados nas redes sociais: Citações, perguntas, memes, dicas, vídeos, etc. Dica extra Ah, não se esqueça de mesclar postagens institucionais, mas sem exageros. Tente postar esses conteúdos institucionais ao menos 2x na semana ou na proporção de 20% dos conteúdos publicados.

Sem bagunça! Instagram testa recurso para ocultar as hashtags

setembro 27, 2018
O Instagram está sempre trazendo novas ferramentas aos seus usuários. A última da rede social de Mark Zuckerberg vai agradar aqueles que gostam de posts bem organizados. Acontece que o time de desenvolvimento do app está testando um recurso que oculta as hashtags. A descoberta da tal nova funcionalidade foi feita pela estudante de ciência da computação Jane Wong, que já é figura conhecida quando o assunto é revelar recursos escondidos em apps. De acordo com as imagens publicadas no perfil da jovem, as hashtags poderão ser acrescentadas às publicações na etapa final antes da postagem. Agora, as hashtags ganharam um espaço próprio que não interferem no campo de texto das fotos. Pelo que foi reportado, não há um limite de palavras-chave que podem ser adicionadas aos posts, mas como se tratam de versões preliminares, é possível que até o lançamento oficial muita coisa mude.
Load more